Welcome Guest!

,

Dê um chega pra lá na ansiedade


Levando-se em conta o aspecto técnico, devemos entender ansiedade como um fenômeno que ora nos beneficia, ora nos prejudica, dependendo das circunstâncias ou intensidade, e que tornar-se patológico, isto é, prejudicial ao nosso funcionamento psíquico (mental) e somático (corporal).

A ansiedade estimula o indivíduo a entrar em ação, porém, em excesso, faz exatamente o contrário, impedindo reações.



Atividades físicas ajuda a combater e facilita o relaxamento
Foto: Reprodução

É difícil controlar a ansiedade, mas se a sensação durar mais de duas semanas e começar a atrapalhar as atividades do dia a dia é preciso dar um jeito nisso e procurar um médico. O sentimento exagerado pode aumentar o risco de doenças como gastrite, alergias e infartos, além de outros problemas no coração.

Acredita-se que vivências interpessoais e problemas na primeira infância possam ser importantes causas desses sintomas. Além disso, existem causas biológicas como anormalidades químicas no cérebro ou distúrbios hormonais. Ansiedade é um estado emocional que se adquire como consequência de algum ato.

Todas as pessoas podem sentir ansiedade, principalmente com a vida atribulada atual. A ansiedade acaba tornando-se constante na vida de muitas pessoas. Dependendo do grau ou da frequência, pode se tornar patológica e acarretar muitos problemas posteriores, como o transtorno da ansiedade. Portanto, nem sempre é patológica.

A ansiedade também causa dificuldade para relaxar, sensação de peso nas costas, diarreia, preocupação, falta de ar, taquicardia, aumento da pressão arterial e sudorese (muito suor). Mas não confunda esse estado com simples estresse! Geralmente, se a pessoa não consegue superar um obstáculo, está ansiosa - se fica nervosa, mas é capaz de vencer o problema, é apenas um estresse. Algumas pessoas ficam ansiosas porque carregam peso demais como dívidas, a espera de um resultado, família, excesso de trabalho e vários outros.

Ter ansiedade ou sofrer desse mal faz com que a pessoa perca uma boa parte da sua auto-estima, ou seja, ela deixa de fazer certas coisas porque se julga ser incapaz de realizá-las. Dessa forma, o termo ansiedade está de certa forma ligado à palavra medo, sendo assim a pessoa passa a ter medo de errar quando da realização de diferentes tarefas, sem mesmo chegar a tentar.

A Ansiedade em níveis muito altos, ou quando apresentada com a timidez ou depressão, impede que a pessoa desenvolva seu potencial intelectual. O aprendizado é bloqueado e isso interfere não só no aprendizado da educação tradicional, mas na inteligência social. O indivíduo fica sem saber como se portar em ocasiões sociais ou no trabalho, o que pode levar a estagnação na carreira.

Cerca da metade das pessoas com ansiedade sofrem principalmente de sintomas físicos, normalmente localizados nos intestinos e no peito. Conforme a sintomatologia, a ansiedade pode ser classificada em vários transtornos, mas sempre quando há um grau patológico, definido como aquele que causa interferência nas atividades normais do indivíduo.

SINTOMAS:

• Fadiga
• Insônia
• Falta de ar ou sensação de sufoco
• Picadas nas mãos e nos pés
• Confusão
• Instabilidade ou sensação de desmaio
• Dores no peito e palpitações
• Afrontamentos, arrepios, suores, frio, mãos úmidas
• Boca seca
• Contrações ou tremores incontroláveis
• Tensão muscular, dores
• Necessidade urgente de defecar ou urinar
• Dificuldade em engolir
• Sensação de ter um "nó" na garganta
• Dificuldades para relaxar
• Dificuldades para dormir
• Leve tontura ou vertigem
• Vômitos incontroláveis
• Sensação de impotência
• Sensação contínua de que um desastre ou algo muito ruim vai acontecer
• Preocupações exageradas com saúde, dinheiro, família ou trabalho
• Medo extremo de algum objeto ou situação em particular
• Medo exagerado de ser humilhado publicamente
• Falta de controle sobre pensamentos, imagens ou atitudes, que se repetem independentemente da vontade
• Pavor depois de uma situação muito difícil.

TRATAMENTO

O tratamento é feito com psicoterapia e medicamentos, dentre os quais ansiolíticos e antidepressivos. O tratamento é iniciado com ansiolíticos como, por exemplo, os benzodiazepínicos. Logo após a estabilização do paciente, o médico pode prescrever um antidepressivo para o controle da ansiedade. Outra classe de medicamentos também utilizada são a dos beta-bloqueadores. É sempre importante que o paciente consulte um médico, pois esses medicamentos são normalmente controlados.

Há algumas técnicas que auxiliam na prevenção e tratamento da ansiedade. Veja algumas dica:

1) Aprenda a relaxar;
2) Procure respirar profundamente algumas vezes do dia;
3) pratique esporte ou simplesmente uma caminhada;
4) Evite café, bebidas e produtos que contenham estimulante (coca, cafeína, cigarro); 5) Tire dez minutos do seu dia para alongar-se e meditar;
6) observe seus pensamentos e direcione-os para que sejam agradáveis.


Referencias: Wikipédia e Minha Vida





Receba novas postagens por e-mail
ATENÇÃO! "Algumas informações e sugestões contidas nesta página são compartilhadas de outros meios de comunicação, bem como blogs, sites, jornais e revistas impressas. As dicas têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas."


COMPARTILHAR ESTE POST

Share








ÚLTIMAS POSTAGENS








PUBLICIDADE

Featured

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE