Welcome Guest!

,

Proteja-se do câncer de pele

"Pessoas com histórico familiar, com pele e olhos claros, cabelos loiros ou ruivos, ou que sejam albinos fazem parte do grupo com maior propensão a esta doença"

Com simples atitudes no dia a dia é possível prevenir a doença

Foto: Reprodução
Nesta época do ano, em pleno verão, alguns cuidados devem ser redobrados, não apenas com a questão da hidratação, mas também no que se refere à proteção contra os raios solares. tudo para evitar uma doença que ainda não é levada a sério por muitos: o câncer de pele.

o fato é que essa enfermidade exige atenção especial ao longo de todo o ano, independentemente da estação, uma vez que ela corresponde a 25% de todos os tumores malignos. "A grande maioria dos cânceres de pele é do tipo carcinoma, que é o menos agressivo. Porém, quatro por cento deles são do tipo melanoma, que surge por mutações nas células da pele que contém melanina, o pigmento responsável pelos diversos graus de tom castanhado da pele", explica o médico oncologista, Artur Malzyner, consultor científico da Clinonco, de São Paulo, SP. Ele conta que apesar da exposição excessiva ao Sol ser a causa mais frequente, diversas substâncias químicas, como o arsênico e o alcatrão, além de outras formas de radiações, também estão associadas ao surgimento do câncer de pele. "Em algumas pessoas esta doença pode ser gravemente predisposta por mutações do DNA herdadas geneticamente.


COMO RECONHECER?

O câncer de pele possui algumas particularidades, facilmente identificáveis. Manchas que coçam, descamam e sangram são alguns dos "sintomas", assim como as feridas que não cicatrizam e as pintas que mudam de aspecto são características que requer observação médica atenta. "Pessoas com histórico familiar com esse tipo de câncer, que tenham pele e olhos claros, cabelos loiros ou ruivos, ou que sejam albinos fazem parte do grupo com maior propensão a esta doença", revela o dermatologista, Alexandre Okubo, também da capital paulista, que cita ainda a questão da superexposição ao Sol, muito frequente em quem morou no campo ou na praia por muitos anos, e o excesso de bronzeamento artificial. "As regiões do corpo mais acometidas são as que ficam mais expostas aos raios solares, como rosto, o pescoço, os braços e as mãos", complementa Malzyner.

O ditado "é melhor prevenir a remediar" é extremamente válido. Por isso deve-se evitar a exposição prolongada nos horários em que o Sol está mais forte, geralmente das 10h às 16h. De acordo com a oncologista, esta é a melhor maneira de se prevenir contra essa enfermidade. "Os cuidados, na verdade, já devem começar na infância, uma vez que os vinte primeiros anos de vida são os mais críticos. O ideal é utilizar o filtro solar fator 30 ou maior, de amplo espectro, que protege contra os raios UVB e UVA, e reaplicá-lo a cada duas ou três horas, ou após sair da piscina", afirma Okubo, ao citar ainda a importância do uso de chapéus, óculos e camisetas.


TRATAMENTO

No caso de pessoas que estejam com o câncer de pele, o tratamento mais indicado para o carcinoma é a cirurgia. Segundo Malzyner, a radioterapia é uma alternativa á intervenção ou até mesmo um complemento. Já a quimioterapia administrada pela veia ou pela boca é raramente prescrita, pois estes tumores não costumam disseminar fora da região do corpo onde de se iniciam. "O melanoma, por sua vez, é uma moléstia de evolução mais grave e a cirurgia tende a ser mais ampla, além da frequente necessidade de se retirar os linfonodos próximos ao tumor".


Outro tratamento é a imunoterapia, que age nas defesas do organismo contra o câncer. trata-se de uma modalidade que está se desenvolvendo rapidamente no combate ao melanoma e outros tumores malignos. "Além disso, novos medicamentos que inibem diretamente determinadas mutações das células do melanoma estão sendo produzidos, que representam uma futura esperança", informa o oncologista, ao explicar que esta doença, quando tratada no início, tem mais de 90% de chance de cura. Se o paciente não ficar completamente curado, pode recair localmente ou se espalhar para outras regiões, podendo acarretar em novas cirurgias e aumentar o risco de morte pela enfermidade. "Quanto ao melanoma, se não curado, pode provocar a disseminação de metástases para outros órgãos do corpo que pode vir a ser fatal", relata Okubo.

De acordo com o oncologista, as mulheres são um pouco mais acometidas pela doença. Para se ter ideia, segundo dados do instituto Nacional do Câncer, há uma estimativa de que em 2012 foram registrados mais de 134 mil novos casos, sendo 62.680 em homens e 71.490 em mulheres. "O câncer de pele não é comum em crianças. Quando ocorre está geralmente associado a defeitos hereditários, como no caso do Xeroderma Pigmentoso. Nesta condição, o paciente não consegue reparar de maneira eficiente os danos produzidos aos genes por radiações ou agentes químicos, o que leva, de maneira precoce, a mutações que provocam a doença", finaliza Malzyner.


SERVIÇOS

Alexandre Okubo | Dermatologista
São Paulo/SP | (11) 5549-1552 ou 2925-1552
www.clinicaprime.com.br

Artur Malzyner | Oncologista
São Paulo/SP | (11) 3068-0808
www.clinonco.com.br

Revista Polishop | Ano XI - nº 1 - 2013





Receba novas postagens por e-mail, cadastre-se!
ATENÇÃO! "Algumas informações e sugestões contidas nesta página são compartilhadas de outros meios de comunicação, bem como blogs, sites, jornais e revistas impressas. As dicas têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas."


COMPARTILHAR ESTE POST

Share








ÚLTIMAS POSTAGENS








PUBLICIDADE

Featured

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE