Welcome Guest!

,

Como recuperar a vida sexual pós parto


Ter relações sexuais pela primeira vez após o nascimento do bebê pode ser uma conversa difícil para muitos casais.


Trocar fraldas, papinhas e mamadas ou brincar são algumas das atividades corriqueiras do mundo dos pais (mais da mãe, já que o bebê depende, nos primeiros meses, exclusivamente dela) e isso tudo gera cansaço. Além disso, o filho passa a ser prioridade do casal e, por isso, o espaço e intimidade conjugal ficam bem reduzidos.

"Para uma relação que vai bem, os filhos somam e não atrapalham. O problema é quando o casal já tinha problemas antes ou quando surgem dificuldades e desavenças por conta da criança. Nessa fase, é preciso ter muita compreensão, companheirismo e paciência", explica Carol, que afirma ainda que o casal tem que esperar, em geral, 40 dias para ter relação sexual independente do tipo de parto.


10 DICAS PARA RETOMAR A VIDA SEXUAL NO PÓS-PARTO

Chegada do primeiro filho impede a vida sexual?

'Só atrapalha se o casal não se programar para isto. Todo casal tem que planejar os filhos e a vida sexual. Em geral, a rotina do casal muda muito. Os horários do recém-nascido são 100% diferentes da rotina do casal. E a mulher terá um desgaste físico muito grande durante a amamentação. As prioridades mudam quando nasce um filho. O filho 'atrapalha' o casal somente se o mesmo permitir', explica a sexóloga e personal sexy, Karina Brum.

Desejo sexual diminui mesmo nos primeiros meses do bebê?

'Isso é uma variável. Não há certeza plena nesta afirmação', explica Karina Brum. Isso porque, explica a personal sexy, depende muito de cada mulher e engloba fatores genéticos e estilos de vida. 'Uma mulher que já é sedentária pode ter queda de libido com a gravidez (tanto no início quanto durante toda a gestação). Já mulheres mais ativas (física e mentalmente) tendem a ter a libido aumentada. E vice-versa', completa.

Falta de desejo após o nascimento do filho é culpa dos hormônios?

'Também, mas o cansaço, a falta de sono e a mudança na rotina do casal também afetam a mulher principalmente nos primeiros meses. Mas é preciso manter o contato sexual com o parceiro, mesmo que seja esporádico, para manterem o papel de homem-mulher que fica um pouco perdido entre os papeis de pai e mãe', explica a ginecologista e sexóloga Carol Ambrogini, que coordena o Projeto Afrodite, um centro de sexualidade feminina do Departamento de Ginecologia da UNIFESP.

Mulheres tendem a ficar menos lubrificada após o parto?

'Sim, pela falta do estrogênio, mas apenas no período de amamentação. Se essa falta de lubrificação permanecer depois do desmame alguma disfunção sexual pode estar surgindo', adverte a ginecologista Carol Ambrogini.

'Nem todas as mulheres', opina Karina Brum. O corpo demora a voltar ao normal na maioria das mulheres que não tenham o hábito de fazer exercícios e também depende da idade da mulher que acabou de ter filhos. 'Mulheres acima dos 38 anos que resolvem virar mães precisarão de mais tempo para voltar a ativar a libido e o desejo e são estes fatores que respondem pela lubrificação feminina. É sempre aconselhável usar lubrificantes a base d’água durante o período sexual pós-parto', recomenda a personal sexy.

Mulheres podem engravidar de novo se estiverem amamentando

Ambas as especialistas explicam: mulheres podem engravidar sim nesta fase! 'Teoricamente não, pois a ovulação fica inibida pela amamentação, mas, na prática, pode acontecer. Então, é melhor se prevenir', explica Carol.

'Antigamente as mulheres tinham uma programação genética diferente e o período de resguardo era bem feito e respeitado. Hoje em dia, algumas mulheres já tomam pílulas específicas (e especiais) durante o período de lactação, sempre com orientação médica para que não ocorra nenhum prejuízo ao bebê. Então, por favor, utilizemos preservativo', diz Karina.

Quanto tempo esperar para manter relações após o parto?

'Em geral, são 40 dias, mas isso vai variar porque cada mulher tem uma fisiologia e isso influencia muito na hora de retomar a atividade sexual. O que alertamos é que o marido funciona de forma diferente ao da mulher. Por isso, indicamos a compra de alguns acessórios eróticos para tornar o período de quarentena menos longo. Quando há amor e cumplicidade entre o casal, tudo dá certo', explica Karina Brum, personal sexy da Labareda Boutique.

É importante criar momentos íntimos entre o casal

'É importante criar momentos íntimos mesmo em casa e apesar do cansaço. Assistir a um filme juntos, cozinharem juntos, enfim, ter momentos para namorar. Além disso, é importante à mulher contar com ajuda para não ficar sobrecarregada. Pode inclusive ser a ajuda do marido. Um tempo para ir à manicure ou fazer uma ginástica faz com que ela recupere seu corpo de antes e sua autoestima', recomenda Carol.

Conversas sinceras e mimos à mulher são ideais neste período

'Temos que lembrar que a mulher precisa de colo, de carícias e palavras amorosas para ativar o desejo, a libido. Receber rosas faz parte do pacote! Ter noção de massagem sensual é primordial. E pedimos que o parceiro (marido) jamais perca o bom humor e a paciência, afinal, não é fácil para a mulher se adaptar às mudanças corporais sem ficar insegura', recomenda Karina Brum.

Para a ginecologista e sexóloga Carol Ambrogini, o que o marido ou mesmo companheiro inicialmente deve fazer é compreender este momento da vida da mulher. 'O segundo é ajudar com o bebê para que a companheira possa descansar e se cuidar. O último é ser romântico, carinhoso, elogiar', diz.

Ajuda e compreensão do parceiro é importante

'Não podemos descartar que a rotina da mulher que recém tornou-se mãe é intensa, cansativa e exaustiva. Isso tudo passa após o terceiro mês do bebê. O corpo e o cérebro se acostumam. Basta ter paciência e sabedoria, bom humor e um pouco de disposição para tornar a voltar a ser mulher-amante novamente. Aqui é de fundamental importância a ajuda e compreensão do parceiro. Ambos terão que se adaptar com a chegada do bebê', explica Karina.

Outra dica é estipular regrinha à entrada dos filhos no quarto dos pais

Uma dica extra da personal sexy, Karina Brum, é que os pais, desde cedo, estipulem limites e regras aos filhos quanto à entrada no quarto. Por isso, nada de deixar a criança dormir com os pais todas as noites e sempre ensine a bater na porta antes de entrar. 'Todo filho precisa sentir e saber que seus pais se amam e que, por isso, necessitam de espaço para sua intimidade', conclui.


Fonte: Tempo de Mulher





Receba novas postagens por e-mail
ATENÇÃO! "Algumas informações e sugestões contidas nesta página são compartilhadas de outros meios de comunicação, bem como blogs, sites, jornais e revistas impressas. As dicas têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas."


COMPARTILHAR ESTE POST

Share








ÚLTIMAS POSTAGENS








PUBLICIDADE

Featured

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE