Welcome Guest!

,

Dez dicas para ser feliz na cama


Quando o assunto é satisfação sexual, a maioria das pessoas não vacila ao afirmar que sente prazer na cama. Mas há um grupo que vai além e, com um sorriso de orelha a orelha, declara que é feliz na cama. É uma diferença sutil e suficiente para levantar uma pergunta: qual é o segredo da felicidade sexual?


“É importante frisar que felicidade sexual vai além do orgasmo. Um casal pode transar e o sexo ser maravilhoso, mas sem que isso traga a felicidade propriamente dita. Quando pensamos em um casal feliz na cama, pensamos em um casal feliz fora dela também. Felicidade e qualidade de vida vêm da harmonia entre relações sociais, sexualidade, família e trabalho”, explica o psicólogo Diego Villas-Bôas, especialista em sexualidade humana pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) e responsável pela área de psicologia do Centro de Sexualidade Humana.

A harmonia que leva à felicidade na cama, portanto, é resultado de ações do dia a dia, sejam elas diretamente sexuais ou não. Villas-Bôas, Cláudya Toledo (match-maker, fundadora da agência A2 Encontros e autora dos livros "Sexo E Segredos Dos Casais Felizes", "Eles São Simples, Elas São Complexas e Manual Do Amor) e Lina Wainberg (psicóloga, especialista em terapia de casal e família, mestre em sexologia e doutora em psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Ufrgs) contam quais são as dez atitudes que ajudam a tornar os casais felizes na cama.


1. RESERVAM TEMPO E ESPAÇO PARA O SEXO

Assim como lida com as tarefas do dia a dia, o casal entende o sexo como um compromisso com direito a preparação. “Para eles, a transa não acontece quando surge uma brecha entre um programa e outro. A transa é o programa”, diz Cláudya. O que está longe de significar obrigação, esclarece a match-maker: “É dedicação à relação sexual”. Também entra nessa organização a questão do espaço onde o sexo será feito, que deverá ser reservado. De acordo com Cláudya, “pode ser o quarto do casal, desde que não haja entra-e-sai de filhos, ou um quarto de motel. O fundamental é que todas as atenções estejam voltadas para o ato sexual”.


2. CADA UM CONHECE O PRÓPRIO CORPO E SABE COMO SE DAR PRAZER

Entender como sente prazer é essencial para que o sexo seja ótimo com o parceiro, por isso as duas partes do casal já exploraram o próprio corpo (por masturbação ou uso de acessórios) e sabem mostrar o caminho de seu orgasmo. “Não pode deixar para o outro a responsabilidade de descobrir, do zero, como proporcionar prazer. É bom facilitar esse processo”, afirma Lina. Cláudya concorda: “Quem sabe chegar ao orgasmo sozinho chega com o outro”.


3. TÊM HÁBITOS CONJUNTOS, MAS MANTÊM A INDIVIDUALIDADE

Caminhar juntos, preparar uma receita a quatro mãos e outras atividades compartilhadas ajudam a manter a chama acesa. “A sexualidade é profunda quando a conexão é contínua. A transa começa muito antes do momento do sexo em si. O sexo é o gol, a transa é o jogo todo”, compara Cláudya. Mesmo assim, esses casais preservam a individualidade: fazem cursos separadamente, cada um tem seus amigos. Lina explica que, dessa forma, eles continuam sendo interessantes um para o outro em todos os sentidos. “É legal sempre ter o que conhecer, o que descobrir do outro. A libido de muitos casais diminui se isso não existe”, diz.


4. SABEM RIR DO QUE DÁ ERRADO NA CAMA

O riso cúmplice – não de deboche – na hora H é um forte indicador de sintonia e felicidade na cama. “Um casal em harmonia tem a capacidade de rir quando o sexo não dá certo, seja por uma brochada ou por uma posição do Kama Sutra que fica simplesmente ridícula ou impossível na vida real das pessoas reais”, afirma Villas-Bôas. Cara feia e olhar de reprovação não têm vez quando a confiança no relacionamento é plena.


5. OLHAM-SE NOS OLHOS SEMPRE

Homens e mulheres gostam de olhar nos olhos do(a) parceiro(a) durante a relação sexual, e os casais felizes na cama estendem esse hábito para todos os momentos em que estão juntos. “Olhar nos olhos estabelece uma sintonia que se mostra forte não só imediatamente, mas mais tarde, no dia seguinte ou quando for rolar sexo”, conta Villas-Bôas. “Essa sintonia os deixa à vontade e faz com que eles se soltem muito mais sexualmente”.


6. SENTEM-SE BEM COM A PRÓPRIA APARÊNCIA

“A pessoa feliz consigo consegue fazer com que o outro a admire mais, e admiração aumenta o tesão”, crava Lina. Villas-Bôas complementa que um dos segredos da felicidade na cama está em não se preocupar em buscar “o melhor ângulo” durante o sexo, como se estivesse posando para uma foto. “Essa preocupação aniquila o prazer. O enamoramento não está no corpo e na pele firme, mas na confiança. Esses casais sabem disso”, diz o psicólogo.


7. CUIDAM DA SAÚDE E DA HIGIENE

Trata-se de uma questão de consideração em todos os sentidos. Ao mesmo tempo em que os dois mostram que se importam com o bem-estar do outro ao cuidar da higiene – “Afinal, sexo é muito ligado à pele e aos cheiros”, explica Cláudya –, indiretamente provam que se preocupam em não deixar o parceiro triste ou sozinho ao cuidar da saúde. Em resumo: um se cuida pelo outro. Uma verdadeira prova de amor.


8. MANTÊM A SEDUÇÃO ATIVA O TEMPO TODO

Seduzir é um hábito que não pode tirar férias. Segundo Lina, “o desejo sexual não é meramente espontâneo, o tesão vem de uma vida em que o erotismo esteja presente”. A psicóloga prossegue: “os casais que mais falam, mais pensam e mais brincam sobre sexo mais têm empenho para a vida sexual”. Cláudya exemplifica como se cultiva a sensualidade no dia a dia: “Colocando um bilhete picante no bolso dele(a), mandando um SMS atrevido no meio do dia, dando beijos de surpresa em casa e tudo mais que a imaginação permitir”.


9. NÃO TEM MEDO DE INOVAR E OUSAR NA HORA DO SEXO

Uma relação tranquila e feliz isenta as duas partes do casal de julgamentos no que diz respeito ao sexo. “Eles sentem liberdade para explorar os pontos de excitação do outro, testar uma mordidinha ou um toque novo”, diz Villas-Bôas. “E flexibilidade em relação ao erotismo, abertura para sugerir algo diferente e também para aceitar sugestões”, continua Lina. Para Cláudya, isso se traduz com perfeição na “ousadia de não manter o ‘cardápio’ de sempre e mudar as posições sexuais de vez em quando”.


10. ACEITAM AS MUDANÇAS NO PIQUE SEXUAL COM O TEMPO

São mudanças de dois tipos. O primeiro diz respeito ao passar do tempo do relacionamento. “Esses casais têm consciência de que o erotismo muda de acordo com a evolução da relação. Em longo prazo, aquilo que excitava no começo não vai excitar tanto alguns anos depois”, afirma Lina. O segundo tipo de mudança é dos próprios corpos e fôlegos. “Manter expectativas de performance igual à da juventude não leva a sucesso nenhum. O ritmo muda, isso é normal e os casais realmente felizes na cama aceitam isso numa boa”, conclui a psicóloga.


Por Raquel Paulino | Love Sex Durex





Receba novas postagens por e-mail, cadastre-se!
ATENÇÃO! "Algumas informações e sugestões contidas nesta página são compartilhadas de outros meios de comunicação, bem como blogs, sites, jornais e revistas impressas. As dicas têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas."


COMPARTILHAR ESTE POST

Share








ÚLTIMAS POSTAGENS








PUBLICIDADE

Featured

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE