Welcome Guest!

,

Livre-se da acne


Ainda que o problema seja mais frequente em adolescentes, a acne também pode surgir em qualquer fase da vida principalmente em mulheres.



Foto / Reprodução


Genética, hormônios, menstruação, estresse, alimentação inadequada, uso de suplementos, poluição e bactérias, essas são algumas das causas da acne, uma doença crônica que pode aparecer em qualquer idade, em homens e mulheres. “Em geral, as espinhas e cravos surgem na puberdade, correspondendo, nesta faixa etária, aproximadamente 80% da queixa dermatológica nos consultórios médicos. Nos adultos, entre 20-35 anos estima-se prevalência de 8% e depois desta idade, a porcentagem cai para 3%”, explica a dermatologista Natália Solon Nery, de Brasília (DF). No entanto, ainda que o problema seja mais frequente em adolescentes, a acne também pode surgir na fase adulta, principalmente em mulheres.


NÃO ESPREMA. Cutucar a pele é arriscado e pode piorar em vez de resolver o problema. A lesão pode infeccionar, deixando manchas e cicatrizes.



ACNE NA FASE ADULTA

Nas mulheres adultas, a acne é causada principalmente pelo estímulo dos hormônios, segundo Natália, androgênicos sob glândulas sebáceas. Por isso, quase 70% das mulheres relatam piora das lesões no período pré-menstrual. “A avaliação hormonal com exames laboratoriais e ultrassom pélvico são necessários. O tratamento nos adultos requer tempo e boa aderência dos pacientes”, avisa a dermatologista.


OS TIPOS DE ACNE

Segundo a médica-chefe da rede Pró-Corpo Estética Avançada, Adriana Bento, de São Paulo (SP), existem quatro tipos de acne.

1º Grau - os cravos que aparecem sem lesão ou inflamação na pele são um deles, esses podem ser classificados como acne de primeiro grau e são tratados com adstringentes, limpeza de pele frequente e produtos esfoliantes --- que devem ser utilizadas duas vezes por semana. “Além disso, o uso de sabonetes específicos, duas vezes ao dia, também é fundamental”, alerta.

Quem tem pele oleosa, deve seguir outra recomendação: utilizar sabonetes específicos e fotoprotetores reguladores de oleosidade com ação hidratante. “Muitas pessoas acham que, por terem a pele oleosa, não é necessário hidratar, pelo contrário, a hidratação faz parte do tratamento contra a acne e traz vários benefícios, incluindo o adiamento do aparecimento de rugas, por exemplo,” esclarece Adriana.

2º Grau - esta por sua vez, apresenta na pele cravos e espinhas pequenas e, segundo a médica de São Paulo, um dos tratamentos a serem utilizados é a luz pulsada. Este procedimento tem o objetivo de aquecer o tecido mais profundo da pele para, assim, estimular a produção de colágeno e elastina que dão firmeza e sustentação. “A luz pulsada também colabora no processo anti-inflamatório agudo”, salienta Adriana.

3º Grau - nesse caso, é possível observar lesões mais profundas, que geralmente são dolorosas, vermelhas e com pus, pois estão inflamadas. O tratamento é realizado com acompanhamento médico e administração de medicamentos tais como antibióticos e a isotretinoína, um medicamento mais potente e com algumas restrições de uso.

4º Grau - para esses casos também é indicada a isotretinoína. “Trata-se do tipo de acne mais grave de todos, podendo ocorrer além de nódulos e lesões, também cistos e abscessos que causam cicatrizes na pele”, avisa a médica da Pró-Corpo Estética.


MARCAS NA PELE, E AGORA?

Enquanto os tratamentos médicos atuam para acabar com a inflamação da glândula sebácea, alguns procedimentos estéticos são decisivos para retirar as cicatrizes deixadas pelas marcas das espinhas. “O tratamento se baseia no uso de cremes de despigmentação, que podem ser à base de ácido retinoico, ácido glicólico, hidroquinona, ácido azelaico, dentre outros, que são prescritos por dermatologistas de acordo com o seu tipo de pele”, diz Natália, ressaltando a importância da consulta com um especialista de sua confiança.


CASOS CIRÚRGICOS

Infelizmente, nem todos os casos podem ser resolvidos com os tratamentos estéticos. “Às vezes, a acne pode formar cistos, fístulas e cicatrizes sendo indicado o tratamento cirúrgico” avisa Natália.


EVITE AS MANCHAS

Para quem tem acne, mas ainda não tem manchas na pele, uma boa notícia: dá para evita-las com alguns cuidados simples. “A principal forma é se protegendo do sol. Hoje, existem diversas formulações de protetores solares específicas para pele oleosa e acneica que dificultam aparecimento de novas lesões. O filtro solar deve ser usado de duas em duas horas, fator mínimo 30”, diz, Natália. Lembrando que além do protetor solar, o paciente deve fazer uso de chapéus, bonés e sombrinhas, principalmente aqueles que têm retinoides em sua composição.


ANTICONCEPCIONAIS X ACNE

Segundo a dermatologista de Brasília, os anticoncepcionais são indicados no controle da acne inflamatória, principalmente nas mulheres que apresentam alterações hormonais. “Estudos mostram que algumas mulheres não respondem ao tratamento com isotretinoína oral por possuírem excesso de hormônios androgênicos. A Síndrome dos Ovários Policísticos é o maior exemplo disso e é a maior causa de insucesso de tratamento da acne”, aponta. Os anticoncepcionais ajudam nesses casos, mas é preciso consultar dermatologistas e ginecologistas antes de começar o tratamento.


GRANDES ALIADOS

Existem ainda as opções de tratamentos estéticos. São eles:

1) Peeling de Diamante: recomendado para os casos graves (acne superficial). O procedimento consiste em uma ponteira que contém lascas de diamante. “O atrito da ponteira com a pele ajuda a eliminar impurezas e a descamar as células mortas e algumas manchas de acne que estão na superfície do tecido epidérmico”, explica a médica de São Paulo.

2) Peeling Químico: focado na remoção de manchas, especialmente aquelas que já atingiram a derme e não podem mais ser removidas com qualquer outro procedimento menos invasivo. Luzes são administradas sobre a pele para promover a renovação do tecido. Esse tipo de tratamento pode causar certa ardência, mas o incômodo é passageiro. O Peeling químico estimula a descamação da cútis e geralmente apresenta resultados satisfatórios em até 10 dias.

3) CO2 Fracionado: trata-se de ondas de laser fracionadas que provocam lesões na pele com o objetivo de estimular a sua contração e a produção de colágeno, melhorando o aspecto de cicatrizes mais graves. O tratamento proporciona um resultado semelhante a de um Peeling profundo, porém a recuperação é bem mais rápida praticamente imediata.

4) Roller: ainda pouco conhecido no país, é um procedimento estético bastante inovador que promove a remoção das camadas danificadas da pele e estimula a produção de um novo tecido fibroso, deixando a pele lisa e macia, tratando as marcas de acne, rugas, linhas de expressão e até as teimosas estrias. O método, portanto, resolve vários problemas de uma vez, pois melhora a aparência geral da pele.

Fora do Brasil, o tratamento é também conhecido como microagulhamento cutâneo e é bastante popular, inclusive entre celebridades, como a modelo israelita Bar Refaeli.

Para o procedimento, utiliza-se um pequeno rolo com microagulhas de aço cirúrgico, com tamanhos que variam de 0,5 a 2,0 milímetros, de acordo com o tipo de pele e a necessidade de cada pessoa.

A técnica pode ser aplicada em qualquer tipo de pele, desde que não esteja inflamada ou recém-bronzeada. “O tratamento deve ser feito sempre por um especialista, com equipamento descartável e em instalações adequadas, para evitar qualquer risco de infecção. A recuperação da pele é rápida --- as microperfurações se fecham em uma hora --- e é observar os resultados em poucos dias”, destaca Adriana.


Por Fernanda Mendonça | Fonte: Ponto de Encontro - a revista da Drogarias Pacheco, Nº 17





Receba novas postagens por e-mail
ATENÇÃO! "Algumas informações e sugestões contidas nesta página são compartilhadas de outros meios de comunicação, bem como blogs, sites, jornais e revistas impressas. As dicas têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos e outros especialistas."


COMPARTILHAR ESTE POST

Share








ÚLTIMAS POSTAGENS








PUBLICIDADE

Featured

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE